Investindo em saúde após os 40

Investindo em saúde após os 40

A partir dos 40, nosso investimento em saúde começa a aumentar vertiginosamente. Investimento como eufemismo de “gasto”, bem entendido. Não se trata aqui de uma reclamação, longe disto, apenas de uma constatação que fiz hoje quando estava terminando de caminhar pelas quadras da Asa Sul, onde moro em Brasília. É incrível como as idéias ficam mais claras quando a endorfina nos permite relaxar.

O Pilates é bem mais caro do que a natação ou a musculação da juventude. Claro que Pilates pode, e deve, ser feito em qualquer idade (e natação também), mas ele nos parece ainda mais indicado quando as dores nos joelhos, nas costas- no meu caso precisamente na lombar-, nas articulações em geral começam a aparecer. Serve para fortalecer os músculos, com o cuidado do professor e inerente ao próprio método para que isto seja feito paulatinamente, e com precisão, de forma a não prejudicar as regiões lesadas. A respiração especial da prática aumenta a oxigenação das células, permitindo um grande relaxamento.

O pilates é também fortemente recomendado pelo médico reumatologista que constatou que você, muito provavelmente, está sofrendo de fibromialgia, uma doença que antigamente era mal diagnosticada e atribuída a todas as pessoas- acomete mais as mulheres- que percebessem que suas dores estão migrando de uma parte para a outra do corpo. Nesta “condição médica”, as dores costumam vir acompanhadas de algum nível de depressão- que também pode aparecer e desaparecer com o tempo- e de alguma dose de insônia. Mesmo atualmente sendo melhor diagnosticado, o que se reflete em um número menor de casos, há alguns meses, ele foi a atribuído a mim.

 

Não que as dores realmente migrassem. No meu caso, elas vinham se somando, isto sim: primeiro os joelhos, especialmente o esquerdo, que foram vítimas do brinquedo assassino conhecido nas academias de musculação como leg press. (Fujam dele enquanto puderem como o Diabo foge da cruz!) Após a gravidez, vieram as dores na lombar. Então, por causa de um conjunto de injeções de ferro mal prescritas- no músculo e não intravenais como costumam ser- e mal aplicadas por uma das enfermeiras do Hospital Santa Luzia, sobrevieram as dores na parte superior dos glúteos. Como se fossem duas bolotas doloridas. Por fim, carregando meu filho após o seu nascimento dois anos atrás, adquiri uma lesão na articulação do braço direito.

As dores não mudavam de lugar, mas os outros dois sintomas estavam lá, então tive que acreditar no diagnóstico do meu muito bem recomendado médico (Rodrigo Aires), embora ele fosse reticente: o nível da fibromialgia era, provavelmente, mediano. O Pilates não seria a única prescrição, porém. O paciente de fibromialgia deve fazer exercícios aeróbicos com a maior regularidade possível. A endorfina é um senhor remédio para a doença. Logo eu que, desde a natação que fiz a partir dos 3, mas havia parado desde os 16, observei certa distância dos exercícios aeróbicos. A não ser que contem as caminhadas e patinadas ao redor da Lagoa Rodrigo de Freitas que fiz com certa regularidade nos meus cinco anos e meio de Rio de Janeiro.

Passei, então, a tentar aumentar para três por semana o número de caminhadas que já fazia de vez em quando nas quadras cheias de árvores e passarinhos do Plano Piloto. Isto acompanhada do meu eclético I-pod, não seria em nada mal. O problema era a falta de tempo. Afinal, dormir bem e um número adequado de horas também faz parte do tratamento e eu (ainda) preciso trabalhar para viver de manhã e de tarde. De preferência, aliás, levantando-se do computador a cada meia hora para evitar as tais dores.

 

Remédios, médicos, roupas… investimentos

E o que tudo isso tem a ver com gastos? Bem, as dores, a insônia e a depressão precisam de um pouco mais do que caminhadas e Pilates para ir embora. Como no meu caso a depressão tinha sido um pouco mais severa devido a uma grande perda que tive em 2008, foi necessário o “investimento” em psiquiatra e remédios (de tarja vermelha, ainda bem!) mais diretamente voltados para a insônia e a ansiedade, mas que, por tabela, ajudavam a debelar o outro problema. Para as dores, meio Cizax todos os dias durante algum tempo, além de algumas aplicações de cortizona com parcimônia em locais específicos. Por sugestão do meu professor de Pilates, Alexandre Abdala, adicionei a ótima acupuntura. Aliada à quiropraxia- prática que coloca as articulações de volta em seus devidos lugares-, a acupuntura por cerca de um ano me ajudou muito nos momentos mais crônicos de dor.

Veja que somente na categoria médica já se somam psiquiatra,  reumatologista, acupunturista e há ainda a massagista semanal que também ajuda no tratamento. Isto sem falar em dermatologista, ginecologista e cardiologista, que se tornam fundamentais após os 40. Ainda não contei que visitarei este último profissional na próxima segunda-feira porque há cerca de um ano não posso tomar mais de duas taças de vinho sem ficar com taquicardia. E lembre-se que os bons médicos já não atendem mais por convênio e poucos cobram menos de R$ 200 por consulta.   

Minha última cartada dei há poucos dias por indicação do meu acupunturista Carlos Macedo. Como desejava há algum tempo, troquei o remédio alopático para insônia por uma fórmula chinesa que trata ansiedade e é um maravilhoso regulador do sono. Cada vidrinho custa R$ 30 e utiliza-se, no mínimo, um por semana. Mas pago feliz, agradecendo a cada uma das gotinhas que tomo três vezes por dia. Afinal, dormir bem sabendo que seu Sistema Nervoso Central não está sendo tocado pela química alopática, não tem preço. É verdade que a fórmula alcoólica começa a me render dores no estômago que há tempos haviam me abandonado. Mas com alívio e um sentimento de que estou sendo recompensada, já posso informar que todo este complexo de tratamentos está surtindo efeito. Já me sinto bem melhor das dores e da insônia na maior parte do tempo.

 

Em outra frente, esta mais leve e divertida, invisto em algumas roupinhas bonitas, caras, mas apropriadas para minhas caminhadas e meu Pilates. Meninas, os shorts da Adidas são os melhores para modelar o corpo e esconder celulites indesejáveis nos culotes. Já repararam que à medida que o tempo vai passando ficamos um pouco mais vaidosas? Vamos compensando as rugas e outras marcas que já não saem com tanta facilidade com um pouco mais de investimento- ele mais uma vez- em roupas e, para algumas mulheres, eu nem tanto, em cremes e outros tratamentos estéticos. Eles fazem parte do extenso pacote.

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • MySpace
  • RSS
  • Twitter

11 Comentários

  1. Cristina arroio |

    Ola Mari,
    Dores musculares, dores de cabeça, dores na articulação…. Se Deus quiser só depois de 65!!!! Antes disso melhor curar as dores lembrando de férias maravilhosas na praia, na neve etc, e claro lembrando da bela familia que cultivamos.
    Bjs

  2. Mari, manda pro meu e-mail o nome desse remedio chines pra insonia, porque esse e outro mal de que sofro com frequencia.
    Beijos

    • Suza, você precisará que um acupunturista ou outro especialista lhe receite. Para cada pessoa um é indicado. O meu é o Suan Zao Ren Tang, número 43. Ligue para o Carlos, meu acupunturista aqui em Brasília: (61) 8123-9774, aí você pode se consultar com ele e ele te enviar, se for o caso. Beijos e melhoras! Mariana.

  3. Mari,
    Realmente a idade chega pra todos…… infelizmente! Eu tambem ja estou sentido os efeitos dessa companheira terrivel. Ontem tentando minimizar esses efeitos que aparecem no meu caso (tambem por causa do sol) como manchas no rosto, chamadas de melasma. Fiz um investimento grande com um peeling de cristal, e em cima deste um outro quimico. Meu rosto passou do amarelo para o vermelho rapidamente e agora esta ardendo um bocado tanto no rosto como no bolso…. Vamos ver se os resultados vao chegar na proxima semana porque por enquanto eu so so estou tendo trabalho pra explicar pros meus filhos que isso nao e doenca e que eles ainda podem dar beijo na mamae….

  4. Concordo com Alexandre.

  5. Mariana! Você é muito jovem pra escrever essas coisas…
    Beijos
    Alexandre

Deixe um comentário