Treze pratos e bebidas imperdíveis em Brasília

Treze pratos e bebidas imperdíveis em Brasília

Não estava fácil escolher dez. Então, resolvi flexibilizar e aumentar para 13 a lista de pratos ou bebidas simplesmente deliciosos encontrados nos restaurantes de Brasília. Claro que são escolhas absolutamente pessoais, mas com certeza capazes de inspirar o pessoal que está trabalhando na capital nesta época em que ela está vazia, com poucas opções para adultos- vide as salas de cinema, invadidas pelos blockbusters infantis e adolescentes das férias de verão. Então, segue a minha lista, que não está em nenhuma ordem, e aguardo os comentários.

1-   Fois gras do Toujours Bistrô. Ele vem coberto por cristais de sal, é simples e gostoso. O do Zuu, com melado, queijo de coalho e salada de feijões, rivalizaria com ele se o restaurante não tivesse fechado as portas.

2-   Rabada agridoce do Versão Tupiniquim. É uma rabada com pouca gordura, envolta em uma fina massa folhada. O molho agridoce vai sendo colocado aos poucos (Ver foto do prato e detalhes sobre o local em “Restaurante brasiliense com um pé na alta cozinha espanhola”, aqui no blog). Se não come carne, opte pela Pescada amerela com pimentões vermelhos e amarelos. É leve e saborosa na medida certa! Bem espanhola.

3-    Filé mignon ao vinho Marsala com fois gras e trufas negras do Gero. As batatas cortadas em fatias finas colocadas uma sobre a outra e, principalmente, os aspargos frescos com bacon, complementam o prato perfeitamente.

4-    Sunset drink do El Paso Texas. Drink frozen com suco de laranja e amaretto. Consegue ser melhor que a Piña Colada que tomávamos na Cidade do México também com amaretto. É mais equilibrada por causa da acidez conferida pela laranja.

5-   Risoto de camarão e manjericão do Bom Demais do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Saboroso e cremoso no ponto.

6-    Café grego também do Bom Demais do CCBB. Uma mistura de grãos de café realmente provenientes da Grécia com limão, batidos e servidos gelados em um copo alto. Mistura improvável e surpreendente.

7-   Lagostin da Trattoria da Rosário. Prato sazonal e especial.

8-    Filé a Severin do La Chaumière. No mais tradicional restaurante francês da cidade, o filé foi criado por seu ex-garçom e atual dono, Severino (na foto abaixo), à base de queijo gorgonzola e pimenta do reino em grãos, com deliciosas batatas sautés ou arroz branco. O impressionante é que não é pesado, apesar dos ingredientes. Dá vontade de comer uma vez por mês, pelo menos.

9-   Buffet do restaurante austríaco Servus. O buffet deste restaurante que fica em uma aconchegante e casa de madeira no caminho para a Papuda tem chucrute, salsichões, picadinho com páprica e todas as delícias que são também alemãs. Vá com tempo e harmonize com as cervejas de trigo importadas da Alemanha e outros países europeus. Lá você encontra desde motoqueiros com suas Harley Davidsons até embaixadores como o da Rússia, que estava lá quando fomos. Há ainda uma casinha de bonecas para as crianças no amplo gramado.

10-Lula grelhada da parte superior do Bar do Mercado. Trata-se da parte central do animal, cortada em fatias, acompanhada de farofa amarela e com a opção de um pouco de azeite com pimenta do reino rosa. De dar água na boca. Vai bem com os bons vinhos brancos a preço de mercado da Adega ou com a cerveja de trigo Bohêmia Confraria, que costuma estar no cardápio do Bar não se encontra em qualquer lugar.

11-Todos os pratos com peixes brasileiros, ostras, vieiras, lagostins e jambu do Aquavit. Difícil escolher o melhor deste que é o único restaurante com duas estrelas no Guia Quatro Rodas de Brasília e cujo cozinheiro e dono, Simon Lau Cederholm, foi considerado o chef do ano de 2010 do Brasil pelo guia (Ver detalhes em “O restaurante duas estrelas de Brasília”).

12-Sexy Shrimp do Universal Diner. Um prato afrodisíaco levemente agridoce criado há tempos por Mara Alcamim e que combina com o ambiente do East Village nova-iorquino reproduzido pela chef que tinha apartamento naquele bairro descolado. Mas vá cedo se não quiser encarar a música sertaneja disfarçada de dance music que começa a tocar lá pelas 23 horas.

13- E pra completar, chocolate quente com macadâmia do Espaço Gourmet das lojas Kopenhagen. Simplesmente o melhor chocolate quente que já tomei na vida.

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • MySpace
  • RSS
  • Twitter

21 Comentários

  1. Fernanda Pimentel |

    Mari, adorei as suas (cabalísticas) 13 dicas! Apesar de não curtir o tipo de comida servida no Servus, acho a proposta do restaurante muito legal, parece que estamos fora de Bsb, em algum lugar bem bucólico.
    Sugiro que vc conheça o Empório da Mata (http://www.emporiodamata.com.br/), que tb tem uma culinária deliciosa, é lindo e campestre! Em dias de sol, sabe Deus qdo esses dias voltarão-, as crinças tem uma ampla área verde com direito a galinheiro e balanço na árvore.
    bjo

Deixe um comentário