O dia em que conheci Simone de Beauvoir e Sartre

O dia em que conheci Simone de Beauvoir e Sartre

Por Rosa Sales*

Parabéns ao velho MEC pela iniciativa de colocar uma questão sobre Simone de Beauvoir no Enem. Sinal de que há seres pensantes no Ministério da Educação. Destaque para o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), resquícios do sábio Anísio Teixeira.

A foto de Simone de Beauvoir e Sartre mostra exatamente como eles eram em 1961, quando estiveram no Recife. Eu, estudante de Filosofia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal de Pernambuco. Ali se realizava o Seminário Internacional de Literatura Latina do qual o famoso casal participava como convidado.

Enorme tensão na faculdade, grande rebuliço nos meios intelectuais do Recife. Imprensa do país e internacional acompanhavam os eventos que se misturavam ao clima movimentado na região, Ligas Camponesas, SUDENE, Movimento de Cultura Popular, do qual José Wilker era um dos expoentes, etc.

Nesse ambiente, o Diretório de estudantes da Faculdade achou espaço para um encontro entre estudantes e Sartre/Simone. Memorável!! Mesmo todos em pé, jamais vou esquecer a coragem de que me tomei para perguntar a Sartre, que acabara de passar pela então União Soviética, como ele conciliava a Teoria Existencialista com o Marxismo. Deu-nos uma brilhante aula  sobre como os dois conceitos não seriam incompatíveis teoricamente: a pessoa poderia ser existencialista vivendo num sistema Comunista. Por isso mesmo, foi um crítico do Socialismo Real, que impossibilitava a liberdade de pensamento completa pressuposta pelo Existencialismo.

Simone respondeu a diversas questões sobre seu livro “O Segundo Sexo”. Perguntei sobre a situação da mulher nos países do então Socialismo Real. Ela apontou conquistas, mas continuou muito crítica.

Lembranças de tempos revoltos e intensos. Recife fervia! Mas há que se ponderar que lembro tempos de juventude. Então, não são vistos assim os tempos de todos quando se é jovem?

*Mãe de Mariana Monteiro, Rosa Sales é aposentada pelo Ipea e fez parte da equipe de Celso Furtado na Sudene, nos anos 60, em Recife.Fez Mestrado e Douturado em Sociologia na USP e uma bolsa sanduíche na Sorbonne, Paris, sobre Autogestão de Fábricas.

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • MySpace
  • RSS
  • Twitter

Deixe um comentário