Saindo da rotina em busca de uma vida natural

Saindo da rotina em busca de uma vida natural

Todo fim de ano, fico uma semana em um SPA totalmente natural aqui nos arredores de Brasília. No Bálsamo, além de emagrecer pouco mais de dois quilos antes das férias na praia, passo por um processo de desestresse e desintoxicação fundamentais para uma pessoa acelerada como eu.

O SPA, em meio ao verde e com vista para o Lago Paranoá, segue a Naturopatia.

Prega uma filosofia muito simples: a volta à vida natural. Voltar à vida natural, porém, pode não ser tão simples para 99,9% das pessoas que vivem no mundo moderno. É que, há quase um século, quando a pessoa está com fome e não há comida em casa, sai correndo pro supermercado e compra comida congelada. Na pior das hipóteses, um Miojo, que fica pronto em três minutos. Consome ali uma quantidade inacreditável de sódio e conservantes. Um dos meus colegas de SPA contou que um adolescente esqueceu um sanduíche do Subway na mochila e, quando o encontrou um mês depois, o presunto ainda estava conservado. Imagine a quantidade de produtos químicos necessários pra manter uma carne comestível por 30 dias!

O natural seria a pessoa com fome ir até uma macieira pegar uma maçã (sem agrotóxicos) e comê-la na hora, nos lembram no Bálsamo. Ou pagar as verduras plantadas na horta, cozinha-las e consumi-las em seguida.

E a respiração? Em relação a ela também temos muito a aprender. É preciso voltar no tempo para usa-la melhor. A gente respira o tempo todo, mas não tira 15 minutos do dia para respirar profundamente, para fazer com que o ar realmente chegue à totalidade dos enormes pulmões.

“Tem gente que diz que se alimenta de luz. Não é exatamente isso. Eles vivem de ar. Respirar profundamente alimenta”, diz Nadja Coe, a professora responsável pelas aulas de respiração que temos no Bálsamo. Ela é filha de Pete Coe, o dono do lugar e médico naturopata que acompanha os pacientes/hospedes, fazendo, inclusive, um exame da íris de cada um. As aulas são, sim, necessárias. Nadja ensina uma série de técnicas: tem a de inspiração lenta e aos poucos; a de expiração similar; a de soprar aos poucos até ficar em apneia; várias, até se chegar à respiração completa, enchendo primeiro o abdome, depois a região da costela e, por último, os pulmões completamente. A técnica se originou da milenar Ioga, daí eu ter me acostumado rapidinho.  (Na foto abaixo, sauna individual, que também elimina toxinas)

Se alimentando de ar
“Aqui no SPA, às vezes a pessoa está com fome porque come menos do que está acostumada. Aí, ela deve respirar”, ensina Nadja. “Fazer os exercícios de respiração nutre o ser humano com o oxigênio que é levado às células pelo sangue”, lembra. Nadja tem toda razão. Só senti fome uma vez, nesta última incursão ao Bálsamo: no dia da monofruta. Comendo só melão e suco de melão, tive que experimentar respirar nos momentos de fome. O alívio é grande.

Adeus cólica menstrual
A respiração, além de alimentar, ajuda muito em duas outras buscas: a redução do estresse e a cura da dor. No dia em que estava com cólica, me deitei na cama e respirei. Não precisei de remédios. Passou em 10 minutos. Fiz o mesmo há alguns dias, em mais um período pré-menstrual. Mesmo fora do SPA, deu certo de novo. Adeus Buscopan Plus!!

Tomar sol é outra coisa que nem sempre fazemos. O déficit de vitamina D está se tornando uma epidemia no mundo contemporâneo, afetando inclusive crianças. Fazemos tudo longe do sol, até a natação dos meninos é realizada em ambientes internos. Um neurologista especializado no tema me contou agora em São Paulo que para repor a vitamina D, são necessárias 60 gotas de óleo contendo o nutriente, por dia. Para ele, a maioria dos nutrólogos prescreve apenas 1/10 da quantidade necessária. (Na foto abaixo, uma das atividades mais relaxantes e revigorantes do SPA, a Gommage, uma esfoliação com sal grosso batido e mel. De quebra, a pele fica tinindo!)

Tomando sol na língua e nas genitais
Pois bem, se tomássemos 15 minutos de sol por dia, não precisaríamos de reposição alguma. No SPA os banhos de sol acontecem de manhã cedo e no fim da tarde (embora este especialista diga que o ideal seria quando o sol está a pique, no meio do dia, porque ele bate de forma mais direta no corpo. O destes horários incide apenas de forma diagonal, não sendo suficiente). Além de todo o corpo, inclusive os órgãos genitais, a língua também deve receber sol. Por isso, o Bálsamo tem um solário, atualmente todo cercado por vigas de madeira, para atrair mais praticantes. Ali, você deve tirar toda a roupa e abrir as pernas. Isso mesmo: tomar sol nos órgãos genitais que ficam ali, escondidos, mofando… “Mas esta é uma das atividades que menos ‘pegou’”, lamenta Pete Coe.

É que não é fácil mesmo. O ser humano contemporâneo tem que sair da sua rotina “normal”, cheia de estresse, alimentos podres, e pouco sol e respiração; ir para longe de casa, pra conseguir voltar a ter uma vida natural.

 

Serviço: Mais informações em: http://balsamospa.com.br/s/

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • MySpace
  • RSS
  • Twitter

6 Comentários

  1. Gostaria de ter mais informações (tel,endereço). Por favor, envie por e-mail.

  2. sebastiao luiz teixeira lobo |

    logo estarei ai.

Deixe um comentário